História

por Interlegis — última modificação 30/01/2017 16h53

A história política de Tijucas começa em 1833, quando Porto Belo foi separada da capital do Estado, fazendo divisas com as Vilas de Lages, Laguna e São Francisco. Mais tarde, em 4 de abril de 1859, por intermédio da lei provincial nº 464, o presidente da província, João José Coutinho, autorizou a emancipação política do Município de Tijucas desmembrada de Porto Belo.

Em 13 de junho de 1860, numa sala da residência de José Alves d’Araújo Lima, aconteceu a posse dos membros da Câmara Municipal de Tijucas e a subsequente instalação do paço municipal, numa solenidade que contou com a presença dos vereadores José Antônio da Silva Simas (presidente), José Mendes da Costa Rodrigues (secretário), Miguel Francisco de Souza, João José Gonçalves, José Pedro de Miranda, José Maria e Silva e Francisco Antônio de Souza Medeiros (procurador) e Joaquim Florêncio da Silva (porteiro).

Nos registros arquivados na Câmara Municipal de Vereadores de Tijucas constam as atas do ano de 1948, cujo presidente, Valério Gomes, anotou de próprio punho, o
Termo de abertura .

Atualmente, a Câmara Municipal de Vereadores de Tijucas conta com 13 vereadores: Elói Pedro Geraldo (PMDB); Elizabete Mianes da Silva (PSD); Esaú Bayer (PMDB); Fabiano Morfelle (PDT); Fernanda Melo (PMDB); Jean Carlos de Sieno dos Santos (PSC); José Leal Silva Júnior (PSD); Maria Edésia da Silva Vargas (PT); Juarez Soares (PPS); Fernando Fagundes (PMDB); Odirlei Resini (PMDB); Rudnei de Amorim (DEM).