Após cobrança de vereadores, Executivo fará convênio para castrar animais

por Imprensa publicado 28/04/2021 11h55, última modificação 29/04/2021 11h25
Expectativa é que sejam feitas de 30 a 40 operações por mês por clínicas particulares
Após cobrança de vereadores, Executivo fará convênio para castrar animais

Foto: Larissa Souza

Após meses de conversas com o Poder Executivo, vereadores da Câmara de Tijucas e entidades ligadas à proteção animal conseguiram que o Município destine R$ 40 mil ao serviço de zoonoses, com o objetivo de retomar o programa de castração de animais de pequeno porte na cidade. A medida foi autorizada por meio do Projeto de Lei nº 2401/2021, transformado na Lei Municipal nº 2812/2021, no dia 20 de abril.

Com a sanção do projeto, o Município abrirá processo licitatório para credenciar empresas interessadas na prestação do serviço de castração. A partir do registro de preços, o Município autorizará mensalmente a realização dos procedimentos cirúrgicos nos animais. A medida vai colaborar no controle de natalidade ao reduzir a proliferação de animais abandonados.

A expectativa é que sejam feitas de 30 a 40 operações por mês. O serviço será destinado a castração de cães e gatos, machos e fêmeas, resgatados pelas protetoras. Além delas, pessoas de baixa renda que queiram castrar seu animal de estimação e não possam arcar com os custos em uma clínica particular também terão direito ao serviço.

Encabeçada pelos vereadores Maickon Campos Sgrott (PP) e Maurício Poli (PSB), a ação busca atender ao pedido de pessoas e entidades ligadas ao bem-estar animal. “Participamos de duas reuniões com as protetoras de animais. Elas nos solicitaram apoio, até porque a causa animal foi uma das nossas bandeiras durante a campanha. Pensando nisso, iniciamos as negociações com o Secretário de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente, Odirlei Resini, e com o Prefeito Elói Mariano Rocha”, conta o parlamentar.

Sala de castração
A ideia inicial do movimento era reativar a sala de castração junto à Secretaria de Agricultura, Pesca e Meio Ambiente. Para colocar o serviço em prática seria necessário adquirir equipamentos, preparar a estrutura física e contratar um veterinário especializado. A ação chegou a ser autorizada pelo Prefeito em fevereiro deste ano, mas não teve andamento porque o Município está impedido de contratar novos servidores até 31 de dezembro, conforme Lei Complementar nº 173/2020. Assim, não haveria profissional para fazer a castração.

Por Rafael Spricigo
Jornalista da Câmara Municipal de Tijucas