Reforma do prédio da Câmara é adequada para manter qualidade da obra

por Imprensa publicado 04/12/2019 12h50, última modificação 05/12/2019 15h26

Substituição completa de telhas, adoção de contrapiso armado e revisão total de aberturas externas são algumas das medidas adotadas no projeto de reforma da Câmara Municipal de Tijucas. Incluídos posteriormente no planejamento, essas mudanças fazem parte das adequações realizadas no projeto para garantir a boa qualidade da execução da obra.

A fim de fiscalizar o andamento do serviço, o Presidente da Câmara, Vilson Natálio Silvino, vem acompanhando pessoalmente a reforma em conjunto com o responsável técnico pela fiscalização, o arquiteto Fábio Coelho, da Prefeitura de Tijucas.

Segundo o arquiteto, por ser um prédio antigo, diversos problemas estruturais surgiram no decorrer da reforma, fazendo com que o projeto inicial precisasse ser readequado. “Dentre os vários itens orçados inicialmente para a reforma, alguns sofreram alterações referentes a soluções construtivas e quantitativos adotados”, pondera Coelho.

camara_reforma_3.jpgA substituição completa das telhas de cerâmica foi um dos elementos não previstos, mas incluídos posteriormente no projeto. Inicialmente elas seriam apenas revisadas e lavadas, mas após o início dos trabalhos constatou-se uma grande quantidade de telhas danificadas, fruto da fragilidade da cerâmica.

“Como o mercado não dispunha de telhas do mesmo tamanho para reposição, optamos pela substituição completa”, explica o arquiteto. Nesse contexto, metade da estrutura que dá suporte ao telhado precisou ser demolida, revisada e construída novamente. Com isso, o problema de infiltração no prédio fosse resolvido.

Em relação à parte superior do prédio, forros de madeira interno e externo foram retirados. Já na parte inferior, a empresa contratada removeu todo o assoalho de madeira substituindo-o por um contrapiso armado sobre aterro compactado. Esse modelo também precisou ser adaptado.

“A princípio o projeto previa a utilização de estrutura de concreto armado sobre sapatas, mas devido à vibração do solo - causada pelo tráfego de veículos pesados na rua em frente ao prédio – o sistema precisou ser repensado”, afirma Coelho.

As aberturas externas (como portas e janelas) também foram totalmente revisadas. “Optamos por revisar completamente todas as aberturas, principalmente nos quadros envidraçados das janelas, que apresentaram desplacamento das massas de fixação e quebra dos vidros durante o lixamento. A ideia foi manter a padronização e a excelente qualidade do acabamento”, disse.

Entre os trabalhos concluídos, a parede externa do prédio também foi revitalizada com a aplicação de um novo reboco, já que o antigo não apresentava mais capacidade de aderência à alvenaria. A superfície foi nivelada com revestimento e impermeabilizada, e em breve receberá pintura nas cores originais do prédio.

Além da revitalização, o projeto de reforma buscou atender à legislação para promover a acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência ou que apresentem mobilidade reduzida. Nesse quesito, dois novos banheiros foram construídos na área central do prédio, permitindo agora o uso da área por cadeirantes.

Licitação da obra
A reforma da Câmara Municipal de Tijucas foi licitada por meio de Tomada de Preços nº 01/2019/CMT e teve o contrato assinado com a empresa vencedora em 13 de setembro de 2019. O prazo para execução da reforma é de 150 dias, contados da assinatura. A área total da obra abrange 715,21 m2, e o valor do contrato é de R$ 415.517,25.

De acordo com o edital de licitação, o serviço completo compreende a reforma estrutural do prédio, incluindo a substituição da rede elétrica e da rede de internet, o que prevê não apenas a substituição dos cabos, mas também o acréscimo de pontos de ligação.