Vereadores debatem falta de água em Tijucas durante sessão

por Imprensa publicado 14/02/2020 10h43, última modificação 14/02/2020 10h43

A recente falta de água em Tijucas foi um dos assuntos debatidos pelos vereadores durante as últimas sessões da Câmara. O problema foi motivo de críticas por vereadores de oposição, enquanto parlamentares de situação defenderam a atuação do governo e divulgaram obras que prometem acabar com o desabastecimento pelos próximos 10 anos.

Como forma de pressionar o governo e buscar mais agilidade na resolução da situação, parlamentares de oposição aproveitaram o espaço dedicado à tribuna para tecer críticas à administração do SAMAE. Na opinião do vereador Elói Pedro Geraldo (MDB), a autarquia não vem sendo administrada corretamente. “Está um caos, não tem gestão nem pessoas capacitadas para ver onde está a ferida”, disse o parlamentar, sugerindo que o problema ainda não teria sido identificado.

Colega de bancada e partido, a vereadora Fernanda Melo Bayer (MDB) engrossou as críticas ao afirmar que “o local em que a água captada é totalmente inadequado, além de o SAMAE estar distribuindo água do rio Tijucas à comunidade sem o tratamento devido”. Segundo Bayer, o atual sistema utilizado pelo SAMAE é adequando apenas para tratar águas de cachoeira, semipotável, mas não água do rio.

A resposta em defesa da autarquia veio logo em seguida. Membro da bancada de situação, a vereadora Maria Edésia da Silva Vargas (PT) argumentou que “em Tijucas não falta água, o que falta é a instalação da estação de tratamento para essa água, mas isso já está em andamento”. A fala da parlamentar se refere à implementação de uma nova estação de tratamento do SAMAE, que deve entrar em funcionamento em abril deste ano.

De acordo com as informações trazidas pelo vereador Vilson Natálio Silvino (PP), atualmente o SAMAE não consegue tratar águas com turbidez superior a 20%.  Por conta dessa limitação e das chuvas fortes nas últimas semanas, o SAMAE decidiu interromper a captação e a distribuição para não entregar água suja e com péssima qualidade à população. A medida preocupou os moradores de Tijucas, que acabaram procurando a autarquia para saber o que estava acontecendo. 

O que diz o SAMAE

Em entrevista concedida à imprensa, o atual Presidente do SAMAE de Tijucas, Jilson José de Oliveira, tentou tranquilizar a população e disse que o momento vivido pelo SAMAE é atípico. “O que estamos enfrentando agora é o tempo ruim, as chuvas fortes que não nos permitem tratar a água por conta da alta turbidez”, disse. De acordo com o Presidente do SAMAE, o abastecimento deve se normalizar assim que a chuva diminuir e o tempo firmar.

Ele também trouxe mais informações sobre a nova estação de tratamento de água (ETA) que será instalada no bairro Itinga. Segundo explicou, a nova estação será capaz de tratar águas com alta turbidez, sejam elas captadas nas cachoeiras ou no rio. Graças a um sistema mais moderno, períodos muito chuvosos não terão tanta influência na purificação da água, e o problema de desabastecimento deve ser resolvido. 

Além dessa melhoria, o tratamento passará dos atuais 120 litros/segundo para 180 litros/segundo. A expectativa é que o aumento na capacidade consiga atender à demanda de Tijucas pelos próximos 10 anos, dada a projeção populacional atual. De acordo com o Presidente do SAMAE, a instalação da nova estação deve ser concluída em meados de março, com início das operações a partir de abril.